Notícias

Atualizado em 11/09/2019 às 14h10

São Marcos desponta como turismo de base comunitária na região do Arapiuns

Secretário de Turimo, Diego Pinho com moradores da localidade São Marcos.O Turismo de Base Comunitária é umas das fontes mais rentáveis que as comunidades da Região Turística do Baixo Tapajós encontraram para dinamizar a economia, aproveitando o uso sustentável dos recursos naturais que são abundantes na Amazônia. Dentre as localidades que se destacam nesta modalidade de turismo está São Marcos, que faz parte da Comunidade Vila de São Miguel, na região do Rio Arapiuns, no município de Santarém, no Oeste Paraense.

Para chegar à comunidade, os visitantes e turistas podem contar com a infraestrutura de lancha que sai da Orla Fluvial da Vila Balneária de Alter do Chão. A viagem inicia com uma grande aventura pelo Rio Tapajós, que à primeira vista parece de águas tranquilas, mas quando os fortes ventos da região batem na águas azuis-esverdeadas do rio, grandes ondas se formam fazendo que os condutores das lanchas mais experientes façam manobras especulares deslizando as lanchas por cima da “crista da onda”, surfando pelos caminhos aquáticos abertos pelos ventos.Lojinha de Artesanato de São Marcos, com Diego Pinho e as lideranças senhora Dilanei e senhor Guilherme.

Após a saída do Rio Tapajós e entrada no Rio Arapiuns, uma viagem que dura em média uma hora e meia de lancha, chega em São Marcos, localidade que fica nos limites territoriais da Vila da São Miguel. São Marcos, atualmente muito visitada por turistas nacionais e estrangeiros, possui uma infraestrutura turística que fortalece a economia do local. Na comunidade os visitantes e turistas tem a oportunidade de conhecer a produção de farinha e podem também praticar as técnicas e levar o produto consigo, como informou o senhor Luis Guilherme da Silva Galúcio. “Aqui na comunidade temos uma casa de farinha, onde nós ensinamos os visitantes e turistas a fazer a farinha e até levar a produção que fizeram. Temos um igapó que os visitantes e turistas podem andar por entre a floresta inundada, um lindo passeio de canoa que custa 15 reais por pessoas, que dura 30 minutos, que abriga uma grande variedade de peixes e pássaros”, explicou.

“Temos aqui uma infraestrutura pequena, mas muito acolhedora. Temos um redário para o descanso dos visitantes e turistas. Quando agendam uma Piracaia, nós deixamos tudo preparado, limpamos a praia, fazemos a fogueira, a ornamentação para as pessoas comerem um peixe assado na praia que custa 400 reais para 15 pessoas. A Piracaia é preparada na entrada da comunidade, na praia da ponta do Caracaraí, que fica aqui em frente à Vila. Servimos também o almoço a base de galinha caipira que custa 30 reais por pessoa”, foi o que explicou Guilherme, coordenador da Casa de Farinha.Redário da localidade São Marcos na Vila de São Miguel.

A senhora Dilanei Silva Ferreira, coordenadora do Grupo de Mulheres Arte Turismo São Marcos, que está a frente do trabalho dos artesãos da comunidade falou sobre a importância do turismo para a comunidade. “O artesanato é uma herança de família e trabalhamos nisso. Todos da comunidade são comprometidos com a produção artesanal, que é uma renda muito importante para as nossas famílias, e estamos deixando o roçado para cuidar de atender os turistas. O turismo veio para ajudar a melhorar a nossa vida. Temos turistas do mundo inteiro que visitam nossa comunidade, o turismo é muito importante para nós”, declarou.

O condutor de Lancha Marcelo Aron Cwervener, da Marupiara Expedições que convidou a equipe técnica da Semtur para conhecer a potencialidade turística da localidade falou sobre o trabalho que é desenvolvido pela empresa na região. “Temos uma infraestrutura para passeios fluviais a partir da Vila Balneária de Alter do Chão, onde levamos visitantes e turistas para várias comunidade da região do Baixo Tapajós. Fazemos passeios de lancha e barcos luxuosos tipo iate e também de barcos de rede estilo regional, sempre proporcionando diferentes experiências para as pessoas que visitam Santarém. Temos muitos visitantes do sudeste do Brasil (São Paulo, Rio de Janeiro), do norte (Belém e Manaus), do Centro Oeste e Sul do País. Um número bem expressivo de turistas europeus que também visitam a região”, destacou.

O secretário de Turismo, Diego Pinho, falou que a parceria e iniciativa como estas são importantes para a promoção do destino Santarém. “Iniciativas como esta são vitais para o fortalecimento do Turismo de Base Comunitária e aceitamos o convite, pois as parcerias com as empresas que trabalham os receptivos contribuem para mostrarmos as potencialidades das nossas comunidades, a exemplo da localidade de São Marcos”, ressaltou.Secretário de Turismo, Diego Pinho, ouvindo relatos sobre a atividade turística de São Marcos.

A localidade não possui rede de eletricidade, somente motor de luz, que funciona em horário determinado, por isso investem no prato principal que é a galinha caipira. Quando contratam o serviço de Piracaia os interessados tem que levar o peixe para evento.

Conheça os serviços da Marupiara Expedições www.marupiaraexpediçoes.com.br / (011) 968556608.


Acompanhe as ações da Prefeitura de Santarém nas redes sociais:
Facebook: https://pt-br.facebook.com/prefeituradesantarem/
Instagram: @prefeituradesantarem
Youtube: Canal da Prefeitura de Santarém

Tadeu Pinho Agência Santarém

Prefeitura de Santarém - Coordenadoria de Comunicação