Notícias

Atualizado em 12/07/2019 às 16h06

Em encontro sobre causa animal, Semma apresenta trabalho de resgate


 "I Encontro de Debates sobre a Causa Animal do Peludinhos da Ufopa ocorre nesta sexta-feira (12) no auditório central do Campus Tapajós"


Semma apresenta número de animais resgatados em 2019Durante o "I Encontro de Debates sobre a Causa Animal do Peludinhos da Ufopa" que ocorre nesta sexta-feira (12), no auditório do campus Tapajós, agentes ambientais da Prefeitura de Santarém/Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma) apresentaram como é realizado o serviço de resgate que o órgão executa.

"Temos constantes solicitações. Em março deste ano houve um caso com bastante repercussão. No Residencial Salvação, um homem foi flagrado maltratando um cão e o criminoso terá que pagar multa de 3 mil reais", destacou o fiscal ambiental Patrick Miléo.

De janeiro de 2019 ao presente momento, dentre os tipos de animais domésticos que a Semma tem registros de denúncias em relação a maus-tratos estão: cães (24); porcos (21); cavalos (9); gatos (07); boi (04); bode (02) e picote (01). I Encontro de Debates sobre a Causa Animal do Peludinhos da Ufopa ocorre no campus Tapajós

Em relação aos silvestres os números de situações são: papagaio (06); quelônios (04); capivara (03); curió (02); macaco (01); jabutí (01); anta (01); boto (01) e peixe-boi.

Leia também:

De acordo com o artigo 32 da Lei Federal de Crimes Ambientais nº 9.605/98, praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos, pode ter a pena de detenção de três meses a um ano, além de multa. Criminosos estão sujeitos a detenção de três meses a um ano, além de multa

"Peludinhos da Ufopa" é um projeto de extensão que tem como objetivo tratar, cuidar e alimentar os animais, especialmente cães e gatos de vida livre que habitam os espaços da Ufopa.

Exemplos de maus-tratos

- Abandonar, espancar, golpear, mutilar e envenenar;
- Manter preso permanentemente em correntes;
- Manter em locais pequenos e anti-higiênico;
- Não abrigar do sol, da chuva e do frio;
- Deixar sem ventilação ou luz solar;
- Não dar água e comida diariamente;
- Negar assistência veterinária ao animal doente ou ferido;
- Obrigar a trabalho excessivo ou superior a sua força;
- Capturar animais silvestres;
- Utilizar animal em shows que possam lhe causar pânico ou estresse;
- Promover violência como rinhas de galo, farra-do-boi etc..

Como denunciar

De acordo com a Lei Federal Complementar nº 140, de 8 de dezembro de 2011, podem atender a demanda qualquer um dos seguintes órgãos: 1ª Companhia Independente de Policiamento Ambiental (1ª Cipam)/Polícia Militar, via NIOP (190); Delegacia de Combate aos Conflitos Agrários e Meio Ambiente (Deca/Dema)/ Polícia Civil; Prefeitura de Santarém, por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma); Governo do Estado do Pará, via Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas); além do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). 
Acompanhe as ações da Prefeitura de Santarém nas redes sociais:
Facebook: https://pt-br.facebook.com/prefeituradesantarem/
Instagram: @prefeituradesantarem
Youtube: Canal da Prefeitura de Santarém
Júlio César Antunes Agência Santarém

Prefeitura de Santarém - Coordenadoria de Comunicação