Notícias

Atualizado em 01/11/2018 às 16h12

Emoção marca encerramento da II Jornada Socioeducativa do Creas


Vozes embargadas, emoção no olhar e a cor branca simbolizando a paz vestida pelos socioeducandos e equipe do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) marcou o encerramento da II Segunda Jornada Socioeducativa "Oportunidade sem Medidas" para cinquenta e seis adolescentes em cumprimento de medida socioeducativa do Trabalho infantil, Proteção e Atendimento Especializado a Famílias e Indivíduos (Paefi), na manhã desta quinta-feira (01), no auditório do Instituto de Ensino Superior (Iespes).

Participaram da mesa a Juíza da 5ª Vara da Infância e Juventude Josineide Gadelha Pamplona de Medeiros; representando a Câmara Municipal de Santarém o vereador Dayan Serique; a presidente do Comdca Marileuda Cunha; do Centro de Integração Empresa Escola (CIEE) Monique Damasceno; do Conselho da Mulher Empresária Darenice Coimbra; coordenadora da Proteção Social Especial (PSE) Adriana Pantoja; a coordenadora do Creas Islaine Pimentel e um socioeducando.

Uma linda apresentação musical dos socioeducandos do Centro de Semiliberdade de Santarém da Fundação de Atendimento Socioeducativo do Pará (Fasepa) e a exposição de um vídeo com a trajetória da Segunda Jornada deixou todos os presentes emocionados.

Em suas falas todos puderam expressar a importância da realização da jornada que iniciou em agosto e possibilitou que 56 jovens em cumprimento de medidas recebessem os certificados em participação dos cursos profissionalizantes de Barbearia, Mecânica de Motos, Refrigeração Comercial, Espanhol e Técnica de Vendas. Cada aluno recebeu um kit para utilizar no início de suas carreiras profissionais. Amigos e parceiros do Creas também foram certificados.

"Quero parabenizar toda a equipe do Creas pelo excelente trabalho e também agradecer o apoio de todos os nossos parceiros. Realmente esse é um momento de muita emoção, pois finaliza um importante processo que os socioeducandos participaram desses cursos profissionalizantes. Desejamos que eles possam ser inseridos no mercado de trabalho, e que a sociedade os apóie e deem as mãos para que possam crescer e ter a oportunidade de um recomeço", frisou Celsa Brito, Secretária Municipal de Trabalho e Assistência Social.

A atual coordenadora do Creas Islaine Pimentel entregou certificado "Amiga do Centro" para a ex-coordenadora Rainilce Lisboa
A coordenadora do Creas Islaine Pimentel falou sobre a realização do encerramento da jornada. "Foi tudo muito desafiador. Hoje verificamos que valeu a pena, concluímos nosso objetivo. Nossos jovens estão saindo capacitados para entrar no mercado de trabalho, para conseguir seu dinheiro de forma digna, de forma correta enquanto cidadão. Foi uma conquista para toda a equipe", afirmou Islaine.

O pai de um socioeducando contou sobre ter participado do evento. "Às vezes não temos a força, o apoio de mandar ele fazer um curso. Hoje me sinto feliz por ele ter participado do curso de barbearia e ter conseguido aprender uma profissão. Nós vamos montar um salãozinho para ele tocar a vida em frente."

Um socioeducando de 16 anos, que participou dos cursos de Espanhol e Refrigeração Comercial recebeu a notícia que conseguiu uma vaga de emprego de Jovem Aprendiz em uma instituição financeira de Santarém por meio do Creas e do Centro de Integração Empresa Escola (CIEE). "O Creas mudou muito minha vida. Para mim foi um sol que iluminou meu caminho. Digo para os meus colegas que não desistam e abracem as oportunidades, não desistam e vão atrás de seus sonhos. Cada um tem a sua personalidade e o seu ponto forte", disse entusiasmado.

Alguns socioeducandos contaram que muitos estão trabalhando na área de barbearia, alguns já estão trabalhando com mecânica de motos e refrigeração comercial.

Coordenadora da PSE Adriana Encarnação e Juíza da 5ª Vara da Infância e Juventude Josineide Gadelha A juíza da 5ª Vara da Infância e Juventude Josineide Gadelha Pamplona de Medeiros em sua fala destacou. "Adolescentes são seres humanos em desenvolvimento. Faz parte do processo de aprendizagem de todo ser humano aprender por tentativa, pelo erro e acerto, então eventualmente um adolescente pode errar e aquilo que ele faz de errado deve ser reprovado, mas ele enquanto pessoa deve ser considerado digno de respeito e de oportunidade. O Creas ao lidar com socioeducandos que cometem atos infracionais, trabalha dentro de uma perspectiva que envolve a superação das vulnerabilidades, das causas que o levaram a infracionar, faz com que eles rompam com a trajetória infracional e ressignifiquem os seus caminhos. Nós precisamos compreender que quando incluímos esses adolescentes, damos oportunidades. Eles demonstram seus dons e suas habilidades. Devemos oferecer a eles livros, instrumentos musicais, ferramentas de trabalho para que eles sejam inseridos dentro de um universo de inclusão."

Geisa de Oliveira Agência Santarém

Prefeitura de Santarém - Coordenadoria de Comunicação