Notícias

Atualizado em 09/05/2018 às 15h57

Prefeitura de Santarém fará avaliação em lagos da região do Tapará para prevenir impactos do "iaiw"


Com a chegada do verão amazônico se aproximando ocorre o fenômeno natural conhecido como "iaiw". Lagos da várzea iniciam o processo de baixa das águas e alguns igarapés que os ligam acabam secando por completo, o que impede a fuga dos peixes para os rios, onde poderiam se abrigar. Por conseqüência as espécies ficam fáceis de serem capturadas, ao mesmo tempo em que acontece a mortandade do pescado por conta do pouco oxigênio e o aumento da temperatura.

Observando estas questões foi realizada uma reunião na manhã desta quarta-feira (9), entre Prefeitura de Santarém, por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma), Instituto de Pesquisa da Amazônia (Ipam) e Conselho de Pesca da Região do Tapará. Dentre os pontos tratados estão estudos e fiscalizações de lagos da região para prevenir a pesca predatória e a mortandade das espécies.

"A região de Tapará é composta por nove comunidades com aproximadamente 5 mil pessoas que seguem o acordo de pesca da própria região. Temos a questão da pesca predatória em todas as comunidades, por isso, o iaiw que deixa os lagos mais rasos, pode facilitar a captura das espécies e agravar o problema na região, podendo até acontecer a escassez do pescado", informou o presidente do Conselho de Pesca da Região do Tapará, Raimundo Júlio Sousa.

A secretária de Meio Ambiente, Vânia Portela, informou que deverá encaminhar, juntamente com o Ipam, equipe técnica para avaliar quais os lagos que devem sofrer com o fenômeno e a melhor forma para fazer o transporte do pescado para canais mais profundos como os rios que banham as próprias comunidades, caso o fenômeno ocorra esse ano.

"Além disso, estaremos com fiscalizações nas áreas, dando continuidade às nossas operações que ocorrem tanto no período chuvoso quanto no verão. Adotaremos medidas preventivas não só de fiscalizações, como também poder intervir caso seja necessário para não termos um desequilíbrio ecológico nessas áreas", destacou a secretária de Meio Ambiente.

No dia 7 de julho, o Conselho promoverá reunião no Centro Comunitário de Bela Vista do Tapará, onde os membros da entidade devem tratar todas as questões relacionadas às situações do pescado nessas áreas.

Júlio C. Guimarães Agência Santarém

Prefeitura de Santarém - Coordenadoria de Comunicação