Notícias

Atualizado em 13/04/2018 às 14h56

Comunidade de Cucurunã é destaque na série Atrativos Turísticos


Santarém, conhecida por suas praias com vasta extensão de areias brancas e águas cristalinas, é uma terra de inúmeras atrações turísticas. Com a série "Atrativos Turísticos de Santarém" já se deu destaque para as principais praias, que são procuradas quando as águas dos rios baixam, e aos balneários com seus igarapés, que são mais visitados, quando acontece o fenômeno das cheias dos rios, com informações de toda a infraestrutura que esses atrativos possuem. A partir desta sexta (13), o destaque da série será para as comunidades que desenvolvem o Turismo de Base Comunitária (TBC).

O Turismo de Base Comunitária é uma modalidade de turismo desenvolvida pela própria comunidade, de forma associativa e solidária, com um controle efetivo das terras e das atividades econômicas associadas à exploração do turismo. O objetivo é garantir a sustentabilidade social, econômica e ambiental. O destaque dessa semana será a comunidade de Cucurunã, que é conhecida como o portão de entrada para a vila balneária de Alter do Chão, pois é a primeira comunidade, quando se sai da área urbana de Santarém e entra na região do Eixo Forte, pela Rodovia Estadual Everaldo Martins (PA-457).

A comunidade Cucurunã fica a sete quilômetros da região central de Santarém e pertence ao Projeto de Assentamento Agroextrativista (PAE) Eixo Forte. A comunidade possui uma boa infraestrutura para receber turistas e visitantes que buscam viver experiências do cotidiano das famílias do local. Cucurunã é conhecida pela sua produção de farinha e seus derivados, como o tucupi, beiju cica, beiju mole e a farinha de tapioca que são facilmente encontrados nas barracas as margens da rodovia Everaldo Martins. Os visitantes e turistas que tem vontade de conhecer como se produz a farinha, podem fazer o agendamento na própria comunidade, para a visita na Casa de Farinha da família Oliveira.

Na comunidade há um Complexo Cultural e Gastronômico gerenciado pela Cooperativa de Produção Agroalimentar e Artesanal do Cucurunã (Coopac). Possui uma infraestrutura de barracas em alvenaria, palco de show, quadra para eventos, onde acontece o "Festival da Farinha e Artesanato", que este ano realizará a sua 18ª edição e sempre acontece no segundo final de semana de agosto. Café da manhã regional, apresentação de danças folclóricas, mostra de farofas, bingão, concurso de rainha com roupas artesanais, show artísticos e culturais são alguns dos atrativos do festival que tem o intuito de estimular a produção da farinha e do artesanato confeccionado pelos comunitários.

Além da farinha e seus derivados, Cucurunã, também comercializa produtos da gastronomia paraense como o vatapá, a galinha caipira, pato no tucupi e o delicioso tacacá. Os visitantes e turistas também podem encontrar o saboroso açaí. Na produção artesanal, as palhas de tucumã, castanha sapucaia, talas e sementes, nas mãos das "Marias", como são conhecidas as artesãs Maria da Graças, Maria Coelho e a senhora Algas, se transformam em belos abanos, paneiros, cestas e produtos decorativos variados comercializados no complexo.

A comunidade também se destaca pela realização de eventos esportivos para fortalecer a união dos comunitários, a exemplo do Torneio Interno entre os moradores da comunidade Cucurunã, que iniciou em janeiro e encerrará no dia 21 de abril, no campo Sociedade Esportiva do Cucurunã. Participam do torneio os times: Barcelona, Real Madri, PAG, PSG, Independente, Cruz de Malta, Juventus, Barcelona do Lacrau, Grande Família e Nova Água. Durante o torneio a comunidade faz a venda de seus produtos gastronômicos.

Castanhalzinho, Ramal dos Coelhos e Cajutuba 2, são localidades que pertencem a comunidade de Cucurunã, onde as famílias se unem para a busca de melhorias para o fortalecimento do Turismo de Base Comunitária. A comunidade conta com a colaboração do governo municipal e da Consulte, organização contratada pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) para o serviço de assistência técnica e extensão rural.

Como chegar a Cucurunã

A comunidade fica a sete quilômetros distante de Santarém e o acesso se dá pela rodovia Everaldo Martins (PA-457). Há ônibus no sábado e no domingo das linhas identificadas como Cucurunã, Ramal dos Coelhos, Vila Nova e Ponta de Pedras. Os ônibus dessas linhas começam a rodar às 4 da manhã e encerram à meia-noite, com tarifa no valor de R$ 2,70 (dois e setenta reais).

Mais Informações:

Fernando dos Santos – Presidente da Associação de Moradores do Cucurunã (AMOCurunã) – 093 99128-1530

Tadeu Pinho Agência Santarém

Prefeitura de Santarém - Coordenadoria de Comunicação