Notícias

Atualizado em 08/02/2018 às 17h13

Descartados mais de 24 toneladas de crustáceos e peixes apreendidos em fiscalização


"Os envolvidos serão punidos com multa que será calculada, o frigorífico já foi interditado e o caso será encaminhado ao Ministério Público Federal [MPF]"

Foi concluído nesta quinta-feira (08) o descarte no Aterro de Perema do total de 24 toneladas e 524 quilos de produtos, entre crustáceos e peixes, resultado da operação desencadeada pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Prefeitura de Santarém, por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma), e em conjunto com a Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminfra), Vigilância Sanitária (VS), Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Pará (Adepará) e Exército Brasileiro.

Segundo o fiscal do Ibama Manoel Costa, inicialmente a ação de fiscalização foi nos mercados e frigoríficos da cidade, a fim de verificar a declaração de estoque do pirarucu por conta do período do defeso, sendo que em um dos boxes externos do Mercadão 2 Mil um dos donos apresentou declaração de 8 toneladas desse tipo de peixe, mas como existia apenas uma parte do pescado no local, o proprietário foi questionado sobre as demais quantidades e informou que se encontrava num frigorífico na Comunidade Diamantino, região da Rodovia Santarém/Curuá-Una.

Manoel relata, que no frigorífico, além do pirarucu, os fiscais acabaram encontrando camarão, aviú e caranguejo em condições insalubres de armazenamento e sem as demais documentações como licenciamento ambiental, a partir de então os demais órgãos ligados a questão foram acionados.

"Após análise dos produtores pela Vigilância Sanitária e Adepará, se definiu descaro te. Como tratava-se de uma quantidade bastante elevada, o que, no entanto, exigiu a presença de 20 homens do exército, foi montada toda uma força tarefa e desde a segunda-feira estamos eliminando o material em cova no Aterro de Perema", informou o fiscal do Ibama.

Segundo o fiscal da Semma, Vianey Lira, esta é uma primeira etapa dos trabalhos que exigem toda uma articulação entre instituições e será dada continuidade ao caso, inclusive voltando ao Mercadão 2 Mil, além dos demais mercados e frigoríficos locais: "Os infratores serão punidos com multa que ainda será calculada, o frigorífico já foi interditado, e após conclusão do procedimento administrativo o caso será encaminhado ao Ministério Público Federal [MPF]", disse Vianey Lira.


Júlio C. Guimarães Agência Santarém

Prefeitura de Santarém - Coordenadoria de Comunicação