Notícias

Atualizado em 13/12/2017 às 14h30

Semtras inicia construção de agenda intersetorial de Enfrentamento ao Trabalho Infantil


Após dois dias da Oficina sobre Estratégias de Enfrentamento ao Trabalho Infantil, a Prefeitura de Santarém por meio da Coordenação da Proteção Social Especial, da Secretaria Municipal de Trabalho e Assistência Social (Semtras), iniciou a elaboração do fluxograma de atendimento aos casos de trabalho Infantil. O fluxo será o instrumento que indicará os caminhos que devem ser seguidos para atender, de forma legal, os casos de trabalho Infantil. Nele, serão identificadas portas de entrada para quem encaminha e quais os órgãos que precisam ser acionados para garantir o atendimento dos casos registrados.

A oficina foi ministrada pela psicóloga, especialista em administração e planejamento de projetos sociais da Bahia, Sandra Santos. Ela também trabalha com o atendimento às crianças e adolescentes em situação de trabalho infantil há 8 anos no instituto Aliança. "O objetivo é um trabalho de sensibilizar no entendimento conceitual do problema do Trabalho Infantil, de como isso deve ser enfrentado do ponto de vista da rede, sistema de garantia de direito, como o sistema precisa se organizar, se reestruturar, repensar seus papeis pra enfrentar o problema, trazer isso de uma forma mais prática mais vivencial, pois é o que propõe-se a fazer.

O momento também contou com a pedagoga de Belo Horizonte, Andrea Righi, que é mestre em trabalho social e intervenção socioeducativa. "Queremos que Santarém possa utilizar os encaminhamentos com política pública, e traçar um plano municipal de enfrentamento ao trabalho Infantil é de extrema necessidade, pois o enfrentamento ao trabalho infantil é um fator de desigualdade do país que favorece a questão cultural de achar que o trabalho enobrece, o trabalho dignifica e esquece que se trata de criança", destacou.

"Essa oficina foi um marco para Assistência Social, foram dias para fortalecer as políticas públicas para o enfrentamento do trabalho infantil. É importante adquirir novos conhecimentos, e principalmente, o trabalho em conjunto, essa relação intersetorial fará fluir o trabalho de enfrentamento", avaliou a pedagoga do Aepeti, Marinete Farias.

Para a secretária municipal de Assistência Social, Celsa Brito, neste primeiro ano de gestão, a atual equipe de governo deu grandes passos. "Santarém tem dado grandes passos em relação a assistência social. Que após esses direcionamentos da oficina, possamos seguir construindo com toda a rede, os caminhos mais eficientes para enfrentarmos o trabalho infantil", afirmou.

A próxima reunião está programada para janeiro de 2018.

Participaram da oficina as equipes dos serviços socioassistênciais da Semtras como a equipe técnica dos oito Centros de Referência de Assistência Social (Cras), orientadores do serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos, coordenadora e Técnicas do Aepeti, do Centro de atendimento às mulheres vítimas de violência, Programa Família Acolhedora, Casa de Acolhimento Reviver (abrigo Municipal), do Cadastro Único, equipe da gestão, coordenadores da Proteção Social Básica, Especial, Vigilância, Socioassistencial, Planejamento, Secretaria Municipal de Saúde, conselheiros tutelares, Conselheiros do Conselho Municipal de Assistência Social e da Criança e do Adolescente, além de Ministério Público Estadual e Cerest.

Geisa de Oliveira Agência Santarém

Prefeitura de Santarém - Coordenadoria de Comunicação