Notícias

Atualizado em 19/10/2017 às 16h10

Escola Brigadeiro Eduardo Gomes recebe ações do projeto "Conquistando a Liberdade"


Dar aos detentos do regime semiaberto a oportunidade de realizar serviços não remunerados na recuperação de prédios públicos e de partilhar com a comunidade escolar, a dolorosa experiência no cárcere, são objetivos do projeto "Conquistando a Liberdade", que começou nesta quinta-feira (19), na Escola Municipal Brigadeiro Eduardo Gomes, no bairro Aeroporto Velho.

Essa etapa do projeto que é coordenado pela Superintendência do Sistema Penal do Estado do Pará (Susipe) é resultado de uma parceria entre a Prefeitura de Santarém, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semed), que vai atender várias escolas da rede.

Na escola Brigadeiro Eduardo Gomes, 18 detentos do regime semiaberto participam do módulo laboral do projeto, que consta de serviços de capina, podagem, jardinagem, limpeza, pintura, reparos hidráulicos e elétricos, entre outros.

Diego Marques é um dos detentos que participa do projeto com serviço de roçagem e está muito satisfeito de poder trabalhar para reduzir sua pena. "Eu tenho buscado ter sempre um bom comportamento pra sair da penitenciária, porque ali não é um lugar bom para se estar. E a única forma é aproveitar essas oportunidades de trabalho voluntário. Eu me sinto bem em participar do projeto, em estar contribuindo de alguma forma para tornar a escola um lugar melhor. Eu agradeço muito à direção da penitenciária que tem dado essa oportunidade pra gente".

Para o coordenador do Projeto Conquistando a Liberdade Ércio Teixeira, quem mais ganha com essa parceria são as escolas. "As escolas, de uma forma geral, são as principais beneficiadas porque com as revitalizações que a gente promove, não só a capina, a roçagem, pintura, pequenos reparos hidráulicos e elétricos, telhado, eles acabam fazendo com que o ambiente escolar fique mais confortável para os alunos. E junto com essa revitalização, a gente traz a roda de conversa com um casal de internos", explicou.

Segundo Teixeira, o objetivo maior é promover o efeito de prevenção nos alunos. Mostrar o quanto cárcere é ruim, o quanto é perigoso o envolvimento com o mundo do crime, das drogas, e de qualquer outra coisa errada que eles estejam buscando como referência para a vida deles. "A escola de uma forma geral, é um local onde inicia muitas coisas, boas e ruins. A questão das drogas é presente hoje em muitas escolas, por isso a gente vem mostrar o quanto é danoso para eles um dia acabar dentro do sistema penitenciário", frisou.

Para a secretária municipal de Educação Marluce de Pinho, a parceria do município com a Susipe, representa a colaboração, a interação e, principalmente, humanidade em relação a quem cometeu um crime. "Nós estamos recebendo os apenados da Susipe para fazer um trabalho belíssimo na escola Brigadeiro Eduardo Gomes. Isso significa que nós estaremos colaborando para que as nossas crianças, professores e pais tenham um espaço melhor, e que a gente valorize quem está esquecido. Quem comete um erro não significa dizer que vai permanecer no erro. São pessoas que são muito úteis e é isso que nós estamos vendo nessa parceria", frisou.

Prevenção

No módulo educativo foi realizada a roda de conversa Papo d'rocha, onde os detentos Matheus, 20 anos, e Leidiane, 22 anos, contaram aos alunos como foi sua infância, sua adolescência, até se deixarem levar pelas más companhias e caírem na prisão, as dores do cárcere e do quanto se arrependem de não terem ouvido os conselhos de seus pais.

Jackeline Sousa, 16 anos, aluna do 8º ano, ouviu atentamente os relatos dos detentos sobre a triste vida no cárcere e disse que vai levar os ensinamentos para sua vida. "O alerta que os presos fizeram para nós é um ensinamento para nossa vida. Às vezes, a gente acha ruim ser chamado atenção pelos nossos pais, mas eles só querem o nosso bem. Enquanto às más companhias só querem nos arrastar para o buraco. Tudo de ruim que eles passaram, serve de exemplo para quem está aqui do lado de fora. Então, é uma honra para a Escola Brigadeiro e os seus alunos, receber esse projeto. Nós como alunos estamos muito felizes", declarou.

Carla Mariana de Araújo Nascimento, mãe de aluno da escola Brigadeiro Eduardo Gomes, apoia a iniciativa do município de fazer parceria com a Susipe para o projeto Conquistando a Liberdade. "Esse projeto é muito bom, não só para os alunos, como também para a comunidade. As palavras dos presos são um alerta para que as crianças de cabeça mais fraca não caiam na vida das drogas, das más companhias. É também uma ótima oportunidade para os presos que estão trabalhando e assim têm a possibilidade de reduzir suas penas sendo úteis à sociedade", pontuou.

Sílvia Vieira Agência Santarém

Prefeitura de Santarém - Coordenadoria de Comunicação