Notícias

Atualizado em 06/10/2017 às 17h05

Projeto estimula alunos e pais a cultivarem hortas para uma alimentação mais saudável

A- A+ Tamanho da Letra
Sílvia Vieira
silviavieira7@hotmail.com
Da Redação - Agência Santarém

No período de 2 a 6 de outubro, 18 alunos da Escola Municipal Brigadeiro Eduardo Gomes, participaram de um curso de horta sustentável, resultado de parceria da instituição com a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Pará (Emater) e do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar).

Durante todo o curso que também teve a participação de duas mães de alunos, os dois técnicos responsáveis orientaram sobre a preparação da terra, de adubo e manutenção de hortaliças e ervas medicinais.

Para Ana Rita, mãe de dois alunos da Escola Brigadeiro Eduardo Gomes, que também participaram do curso, além do conhecimento adquirido, ela agora vai poder economizar produzindo as verduras que vão enriquecer a comida que ela prepara para sua família. "Já plantava tomate e outras verduras em casa, mas não conhecia as técnicas apropriadas para que o crescimento e a produção fossem maiores e mais rápidas. Agora que eu recebi a orientação dos técnicos, vou plantar mais verduras. Vai ser uma boa economia e a nossa alimentação ficará mais saudável", declarou.

Na escola, parte da horta onde o plantio não estava tendo os resultados esperados, houve uma revitalização com mudança do adubo e plantio com o espaçamento correto, o que segundo os técnicos vai favorecer o crescimento e qualidade das hortaliças.

"Nós estamos muito felizes com a realização desse curso na escola. Os alunos se envolveram, alguns pais vieram participar e esse conhecimento com certeza será multiplicado para além dos muros da escola. Dentro da instituição, temos uma preocupação com a arborização, o paisagismo e também com a alimentação dos nossos alunos que será enriquecida com a produção da nossa horta", destacou o diretor da Escola, professor João Magalhães.

O técnico extensionista da Emater, Rildo Colares, informou que qualquer associação, comunidade ou instituição de ensino pode solicitar o curso, por meio de ofício. "Essa parceria possibilita o subsídio de materiais básicos como adubo químico e sementes, por exemplo", explicou.