Notícias

Atualizado em 03/04/2020 às 12h10

Ministério da Saúde recomenda máscara em tecido para proteção contra o coronavírus

Medida já havia sido adotada pela costureira santarena Marília Pessoa. Em entrevista coletiva na última quinta-feira (03), o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, recomendou a utilização de máscaras caseiras em tecido para uso pessoal no sentido de buscar a garantia da proteção das famílias brasileiras contra o Covid-19. As orientações também foram publicadas no site do Ministério da Saúde (MS), na noite de ontem.

Mandetta explicou que a nova medida para o enfrentamento de combate e bloqueio ao coronavírus foi adotada pela falta de máscaras, no mercado, e explica que a máscara é recomendada para o uso individual. “Você pode fazer uma máscara ‘barreira’ usando um tecido grosso, com duas faces. Não precisa de especificações técnicas. Ela faz uma barreira tão boa quanto as outras máscaras. A diferença é que ela tem que ser lavada pelo próprio indivíduo para que se possa manter o autocuidado. Se ficar úmida, tem que ser trocada. Pode lavar com sabão ou água sanitária, deixando de molho por cerca de 20 minutos. E nunca compartilhar, porque o uso é individual”.

O ministro falou ainda que as máscaras de pano para uso comunitário funcionam muito bem e não são caras de fazer. E que esse é um momento de procurar soluções para lutar contra a pandemia e que não adianta lamentar que a China não está produzindo, mas criar estratégias para proteção dos brasileiros.

“Santarém já tinha se antecipado, quanto ao uso de máscara em tecido, por conta da preocupação com a falta de máscara, no mercado santareno, para a proteção das equipes de saúde. “Logo que iniciamos o trabalho de combate ao coronavírus tivemos conhecimentos de uma senhora que estava produzindo máscaras em tecido de dupla face, assim como foi recomendado pelo ministro, inclusive fizemos uma matéria pela experiência que a costureira tem de fazer máscara para pessoas em tratamento de câncer e com esse pronunciamento do Mandetta, reforçou a importância da iniciativa daquela senhora e vamos também reforçar para  a nossa população que tomem para sí essa responsabilidade também”  reforço a secretária de Saúde, Dayane Lime, quanto a produção de máscaras em tecido.

O Ministério da Saúde publicou o manual de como fazer a própria máscara com as seguintes recomendações:

1-     Em primeiro lugar, é preciso dizer que a máscara é individual. Não pode ser dividida com ninguém, nem com mãe, filho, irmão, marido, esposa etc. Então se a sua família é grande, saiba que cada um tem que ter a sua máscara, ou máscaras;

2-     A máscara deve ser usada por cerca de duas horas. Depois desse tempo, é preciso trocar. Então, o ideal é que cada pessoa tenha pelo menos duas máscaras de pano;

3-      Mas atenção: a máscara serve de barreira física ao vírus. Por isso, é preciso que ela tenha pelo menos duas camadas de pano, ou seja, dupla face;

4-      Também é importante ter elásticos ou tiras para amarrar acima das orelhas e abaixo da nuca. Desse jeito, o pano estará sempre protegendo a boca e o nariz e não restarão espaços no rosto;

5-      Use a máscara sempre que precisar sair de casa. Saia sempre com pelo menos uma reserva e leve uma sacola para guardar a máscara suja, quando precisar trocar;

6-      Chegando em casa, lave as máscaras usadas com água sanitária. Deixe de molho por cerca de dez minutos;

7-      Para cumprir essa missão de proteção contra o coronavírus, serve qualquer pedaço de tecido, vale desmanchar aquela camisa velha, calça antiga, cueca, cortina, o que for.


A Prefeitura de Santarém foi a primeira do oeste do Pará a adotar uma série de medidas preventivas à pandemia do novo coronavírus (Covid-19). Confira quais são. No entanto, o isolamento social é a melhor prevenção e as medidas só surtirão efeito se a população se conscientizar e colaborar. Se puder fique em casa. 

A medida de prevenção à Covid-19 do Ministério da Justiça, em Portaria do dia 17 de março, dá autoridade aos profissionais da Saúde, em caso de descumprimento das orientações, quanto a questão dos isolamentos, a pedir auxílio da força policial para o cumprimento das medidas, sem comunicação prévia à pessoa afetada.  A Portaria prevê de 15 dias a dois anos de detenção e multa para quem não cumprir a quarentena. 

Em casos de confirmação, será comunicado de imediato e primeiramente pela Secretaria de Saúde do Pará (Sespa). 

Acompanhe as ações da Prefeitura de Santarém nas redes sociais:
Facebook: https://pt-br.facebook.com/prefeituradesantarem/
Instagram: @prefeituradesantarem
Youtube: Canal da Prefeitura de Santarém

Tadeu Pinho Agência Santarém

Prefeitura de Santarém - Coordenadoria de Comunicação